Correio Feirense - O portal de Notícias de Feira de Santana - Bahia

Feira de Santana Quarta-feira , 16 de Abril de 2014
OFERECIMENTO

Serralheiro leva choque de 13 mil volts no centro de Feira

Publicada em 08/05/2012 ás 18:27:55

Local do acidente

Um serralheiro teve cerca de 80% do corpo queimado, por volta das 16 horas desta terça-feira (08/05), ao levar um choque de 13.800 volts, quando montava a fachada de uma loja, no centro de Feira de Santana.

De acordo com testemunhas, sem qualquer equipamento de segurança, o serralheiro havia acabado de montar um andaime proximo a um transformador de energia e quando ele foi soldar um dos lados da fachada, fagulhas do eletroldo pegaram nos fios do transformador criando um arco eletrico entre o profissional e o equipamento de enetrgia.

A vitima foi lançada de cerca de cinco metros de altura. Ele caiu no meio da rua, na Praça da Bandeira e por pouco não foi atropelado por veiculos que passavam pelo local.

Quatro pessoas que presenciaram o acidentede imediato prestaram socorro evitando que ele fosse atropelado e sufocasse com a propria lingua. Um unico agente de transito teve muitas dificuldades para isolar o local, para facilitar o socorro dos prepostos do SAMU, que rapidamente chegaram no local do acidente.

Apos receber massagens abdominais, pois o mesmo havia sofrido uma parada respiratria, ele foi encaminhado para o Hospital Geral Cleriston Andrade, onde está internado em estado grave.

ARCO ELÉTRICO

Um arco elétrico é resultante de uma ruptura dielétrica de um gás a qual produz uma descarga de plasma (gás ionizado), similar a uma fagulha instantânea, resultante de um fluxo de corrente em meio normalmente isolante tal como o ar. Um termo arcaico para ele é arco voltaico.

O arco ocorre em um espaço preenchido de gás entre dois eletrodos condutivos, e isto resulta em uma temperatura muito alta, capaz de fundir ou vaporizar virtualmente qualquer coisa. Arcos elétricos indesejáveis podem levar a deterioração de sistemas transmissão de energia elétrica e equipamentos eletrônicos.
 

Autor/ Créditos: Jorge Magalhães